A produção sustentável fornece alimentos de qualidade que contribuem com nossa saúde. Foto: acervo ISPN/Méle Dornelas

A produção sustentável, praticada por muitos povos e comunidades tradicionais e agricultores familiares, é uma forte aliada para superarmos crises como a vinda com o Coronavírus no Brasil. Esse tipo de produção tem capacidade para atender demandas por alimentação de todo país, o que pode contribuir com o giro da economia em um ciclo saudável: os pequenos produtores geram renda por meio da comercialização de seus produtos, enquanto a sociedade ganha com alimentos de qualidade na mesa que prezem por sua saúde, livres de venenos e cheio de nutrientes. Ou seja, incentivar e cobrar dos governos políticas voltadas a esse tipo de produção é fundamental. Consumir dos grupos de produtores agroecológicos ao invés de ir ao grande supermercado também faz a diferença. Uma das soluções para superarmos a crise sanitária atual vive entre nós há muitas gerações e está bem ali nas frutas agroecológicas, nos vegetais orgânicos e no respeito à natureza: o modo de vida de agricultores familiares, indígenas, quilombolas, pescadores artesanais e tantos outros povos e comunidades tradicionais.

Assunto relacionado:

Movimentos sociais apresentam solução emergencial de 1 bi para alimentar população vulnerável

Mais de 300 movimentos e organizações sociais do campo e da cidade apresentaram hoje ao Governo Federal uma proposta para fortalecimento do Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA), demandando o aporte emergencial de R$ 1 bilhão para esse mecanismo que ganhou relevância na crise do coronavírus. Endereçada aos governos federal, estaduais e municipais, a demanda prevê a mobilização de 150 mil famílias de agricultores, com a aquisição de 250 mil toneladas de alimentos, nos próximos três meses.

Leia a matéria completa no site da Articulação Nacional de Agroecologia, clique aqui.