Desde o final de 2018, o ISPN entrou em um processo de reflexão sobre uma de suas principais iniciativas: o Programa de Pequenos Projetos Ecossociais (PPP-ECOS). Como fruto dessa reflexão, a organização passou a compreender o PPP-ECOS como uma abordagem integrada para a promoção de Paisagens Produtivas Ecossociais em três biomas brasileiros: Cerrado, Caatinga e Amazônia. E para entender essa nova visão, é preciso resgatar seu histórico.

O PPP-ECOS foi incorporado à agenda do ISPN quando, em 1994, a organização foi selecionada para gerir, no Brasil, o Small Grants Programme (SGP) com financiamento do Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF), atuando em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). No começo, a iniciativa atuava apenas no Cerrado, inclusive, sendo o primeiro a ter enfoque nesse bioma.

A partir de 2013, o PPP-ECOS expandiu sua atuação para a Caatinga, também com apoio do GEF, e para a Amazônia, dessa vez, com apoio do Fundo Amazônia. Além disso, é preciso considerar que, ao apoiar diretamente pequenos projetos, o ISPN também desenvolve iniciativas complementares e integradas para o fortalecimento de organizações comunitárias, como capacitações, gestão do conhecimento, articulação nos territórios e incidência política que consolida territórios produtivos e conservados.

A ampliação das fontes de financiamento, dos enfoques e da abrangência das áreas de atuação, alinhados ao modo como o ISPN desenvolvia as ações, refletem a complexidade do PPP-ECOS. Isso fez a organização perceber que seu conceito ia além do simples repasse de recursos, o transformando de Programa para uma abordagem pela promoção de Paisagens Produtivas Ecossociais que dá o norte das ações da organização

O Fundo Independente PPP-ECOS

Com essa nova abordagem e conceito, as fontes de financiamento da PPP-ECOS prosseguem por meio de um Fundo Independe. Com ele, a estratégia disponibiliza um mecanismo de captação de recursos para investir em mais projetos ecossociais e potencializar a promoção de paisagens produtivas. Hoje, fazem parte da carteira de financiadores o Instituto C&A, com o repasse de recursos para projetos na Caatinga e no Cerrado, e o Fundo Amazônia, com apoio no bioma amazônico. Além desses, uma nova proposta para continuidade do apoio do GEF está sendo construída.

Saiba mais sobre o novo conceito PPP-ECOS, clique aqui.

A nova marca PPP-ECOS

Para acompanhar as transformações da PPP-ECOS, em 2019, sua logomarca foi reformulada pelo designer Cássio Leitão. A coruja, marco da primeira logo, permaneceu na nova marca trazendo novos traços e cores. Animal sábio, protetor e atento, a coruja é um dos símbolos da nossa biodiversidade. Ela expressa a visão ampla sobre as paisagens e a sabedoria para lidar de maneira sustentável com os recursos naturais, marco da PPP-ECOS.