Cerca de 400 indígenas se reuniram em dois importantes eventos históricos para os povos Ka’apor, Gavião, Mermotumré-Kanela, Apãjnekra-Kanela, Guajajara, Awá Guaja, Krikati, Tremembé e Krenyê no início deste mês na Aldeia Maçaranduba, na Terra Indígena Caru, município de Bom Jardim, no Maranhão. Além de parceiro e apoiador do encontro, o ISPN esteve na participação dos debates e nas rodas de diálogos com o apoio da equipe técnica.

No primeiro momento, aconteceu o 4º Encontro da Articulação das Mulheres Indígenas do Maranhão (Amima). Em seguida na programação, foi realizada a 4ª Assembleia da Coordenação das Organizações e Articulações dos Povos Indígenas do Maranhão (Coapima) para eleição de nova diretoria.

Durante a programação, os indígenas realizaram debates sobre análise da atual conjuntura política e resgataram a memória do movimento indígena no Maranhão, fortalecendo assim as alianças com outros movimentos sociais do campo e da cidade. Os participantes ainda reafirmaram a importância do fortalecimento da autonomia indígena, da valorização de suas culturas e de seus processos de gestão ambiental e territorial.

Para o coordenador do Programa Povos Indígenas do ISPN, João Guilherme Nunes Cruz, os dois eventos trouxeram resultados muito significativos, sobretudo em relação à reafirmação da relevância das mulheres no movimento indígena, tanto no estado, quanto nacionalmente. “O encontro foi histórico, pois enalteceu todas as especificidades e desafios que as mulheres enfrentam; e também pelo compromisso assumido pelas lideranças presentes em continuarem no caminho de valorização das economias indígenas, de seus processos de autonomia em prol da sustentabilidade ambiental de seus territórios, de seus relevantes papéis no enfrentamento da ameaça das mudanças climáticas e de valorização de suas culturas e modos de vida”, ressaltou João Guilherme.

Ao final dos dois encontros, foram elaboradas e divulgadas cartas políticas de reafirmação e resistência em defesa e respeito aos modos de vida e aos territórios indígenas. Os eventos receberam o apoio do ISPN e do Centro de Trabalho Indigenista (CTI), por meio do “Projeto Gestão Ambiental e Territorial Integrada de Terras Indígenas na Amazônia Oriental”, com apoio da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid) .

Além do ISPN, outros parceiros e aliados do movimento indígena, de instituições indigenistas e de defesa dos Direitos Humanos em âmbito local, regional e nacional também estavam presentes, como a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira- COIAB, União das Mulheres Indígenas da Amazônia (UMIAB), Greenpeace, Secretaria Estadual de Direitos Humanos e Participação Popular (SEDIHPOP) e Coordenação Regional da Fundação Nacional do Índio (Funai).

AMIMA – Ao final do evento, foi pactuado um novo formato de organização da coordenação política da Articulação, onde ficou definido que a Coordenação Geral será composta por quatro Coordenadoras Regionais e suas Vices Representantes.

Região Norte:

Coordenadora Geral: Taynara Caragiu Guajajara

Vice Coordenadora: Cilene Guajajara de Souza

Região Centro-Oeste Tupi:

Coordenadora Geral: Sulane Ribeiro Lopes Guajajara

Vice coordenadora: Inai’ury Carneiro Pompeu

Região Centro-Oeste Jê

 Coordenadora Geral: Ruth Parkrit Canela

Vice Coordenadora: Geneci de Araújo Timbira

Região Sul:

Coordenadora Geral: Cíntia Maria Santana da Silva

Vice Coordenadora: Maria Helena Gavião

COAPIMA – Na programação, aconteceu a eleição da nova diretoria de forma democrática com a participação dos presentes. Na atual composição ficou na Coordenação Geral: Edilena Torino Krikati; Vice-coordenação Geral: Marcilene Liana Guajajara; Secretário: Magno Machado Lima Guajajara; e Tesoureiro: Ronys Araújo da Silva Timbira.

“É um grande compromisso e responsabilidade estar à frente dessa organização, enquanto mulher, enquanto indígena. É um desafio que temos, principalmente nesse contexto e conjuntura políticos que estamos vivendo. Não estarei sozinha. Tenho apoio dos povos do Maranhão. Nosso lema sempre será resistir para existir. Continuaremos na luta em defesa dos nossos territórios, dos nossos recursos naturais e da vida”, enfatizou a nova coordenadora eleita da Coapima, Edilena Krikati.

Abaixo, as Cartas Políticas do Encontro da Amima e da Assembleia da Coapima:

Carta Amima

Carta Coapima