A animação “Luiza, o resistir do Cerrado” aborda a importância do agroextrativismo para a conservação do bioma e para o desenvolvimento de comunidades rurais e populações tradicionais.

Idealizado pelo ISPN e produzido pela Forest Comunicação, o trabalho foi financiado pelo GEF, PPP-ECOS, PNUD e Fundo Amazônia. A produção nasce para sensibilizar a sociedade sobre a contribuição dos povos na conservação do Cerrado e informar como o cidadão e a cidadã comum podem apoiar iniciativas de agroextrativismo. “Essa dinâmica valoriza os produtos e colabora com o fortalecimento de cadeias produtivas baseadas na rica biodiversidade dos biomas brasileiros”, explica o assessor técnico do ISPN, Renato Araújo.

O uso sustentável da biodiversidade nativa, aliado à produção agroecológica, promove o equilíbrio ambiental, a qualidade de vida no campo e a conectividade entre os fragmentos de Cerrado. Essa é a história de Luiza e de todos os povos que constroem a resistência do bioma.