Entre os dias 15 e 16, no Maranhão, aconteceu a Oficina de Construção Coletiva do Projeto de Fortalecimento Institucional das Quebradeiras de Coco Babaçu e Estruturação da Cadeia Produtiva do Babaçu. Ela reuniu comunidades de quebradeiras de coco e extrativistas do Maranhão e Tocantins, sindicatos de trabalhadores rurais, organizações comunitárias, a academia e representantes da empresa Suzano, Papel e Celulose.

A ação, realizada pelo ISPN em parceria ao Centro Maranhense de Estudos Socio-Ambiental e Assessoria Rural (CEMEAAR), focou na consolidação de uma proposta coletiva para um projeto visando fortalecer a economia e as questões sociais para mitigar os impactos causados pelos empreendimentos da Suzano, para quem será apresentado o projeto.

“As comunidades representadas por lideranças reafirmaram suas demandas e um plano de ação que foi rediscutido para a consolidação de um documento atual baseado nessa reflexão coletiva”, comentou o coordenador de programas do ISPN, Rodrigo Noleto. Essa grande articulação em torno de um projeto de desenvolvimento para as quebradeiras de coco babaçu reafirma a importância de garantir o protagonismo dessas famílias nos processos que, diretamente, interferem suas vidas.