Qual comunicação queremos e para quem? A comunicação que construímos é participativa, dialógica e inclusiva. Foi assim que encerramos, no último final de semana, a oficina “Design Participativo para a Elaboração de Materiais Didáticos”, com 24 comunidades apoiadas pelo Programa de Apoio a Comunidades Tradicionais (Pact), que executamos em parceria com a Vale. A atividade aconteceu em Santa Inês e Itaperucu Mirim (MA).

A oficina envolveu os beneficiários dos projetos do Pact na elaboração de cartilhas temáticas da coleção “Experiências Coletivas em Comunidades Tradicionais” a partir das cadeias produtivas desenvolvidas em suas localidades: quintais produtivos e criação de pequenos animais, horticultura da produção familiar, piscicultura, beneficiamento da produção agroextrativista e reciclagem do lixo e meio ambiente.

“Esses momentos são bons, a gente revê outras colegas de outras comunidades e também a trocamos muitas informações. As cartilhas vão ser importantes, porque vão contar um pouquinho da nossa história”, ressaltou Elizangela Gomes, da comunidade Pimental, município de Arari – MA.

A metodologia participativa permitiu às pessoas conhecerem técnicas básicas de designer e, assim, contribuírem nas tomadas de decisões sobre o projeto gráfico das cartilhas, como a escolha das cores, da fonte, da letra e do formato. Sem falar que as imagens que ilustrarão as publicações estão sendo elaboradas pelos próprios beneficiários, após orientações sobre técnicas de fotografia e desenho.

“Os conteúdos da oficina foram repassados de uma maneira fácil. Tivemos a oportunidade de participar e dar nossa opinião sobre as cores, o formato e o tipo das letras. E também fizemos os próprios desenhos e tivemos noções sobre como tirar uma boa foto”, falou empolgado o jovem André Fonseca, da comunidade de Cantagalo, município de Itepecuru Mirim – MA.

As cartilhas, além de sistematizarem as experiências, desafios e lições apreendidas durante a execução dos projetos apoiados pelo Pact, vão servir para que as práticas e orientações das cadeias produtivas possam ser replicadas e serem referências para outras comunidades. Essas publicações poderão ser acessadas em breve no nosso site.