Ameaças à Amazônia

Existe um acelerado processo de degradação na Amazônia devido à exploração desordenada de seus recursos, principalmente, da madeira. Isso porque o bioma detém uma das últimas grandes reservas de madeira tropical do mundo. Além disso, a expansiva da agropecuária, com suas grandes extensão de terras, é outro fator que gera problemas para a conservação do bioma. Juntando-se à essas problemáticas ainda há a construção de grandes projetos que avançam pelos rios e pelas províncias minerais, sejam as hidrelétricas ou o garimpo legal e ilegal. Todos esses eixos invadem, inclusive, as unidades de conservação e as áreas tradicionalmente ocupadas, ameaçando todo um modo de vida milenar e em diálogos de respeito com o meio ambiente.

Pesquisa do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (PRODES), divulgada ano passado pelos ministérios do Meio Ambiente (MMA) e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) mostrou que entre agosto de 2017 e julho de 2018, o desmatamento na Amazônia aumentou 13,7% em relação aos 12 meses anteriores. Foram suprimidos 7.900 km2 de floresta, o equivalente a mais de cinco vezes a área da cidade de São Paulo. Diversos movimentos e organizações da sociedade civil defende a urgência em se investir em medidas para a Amazônia que freiem esse processo devastador, o que passa, estruturalmente,  pela garantia dos direitos territoriais de seus povos e comunidades tradicionais.

Últimas notícias sobre o bioma Amazônia

Veja todas as notícias