Com o esforço conjunto de várias organizações, comunidades do Alto Jequitinhonha melhoram sua qualidade de vida.

Um conjunto de sete projetos apoiados pela Iniciativa Satoyama, e de três projetos apoiados pelo PPP-ECOS, por meio do GEF, está gerando importantes transformações em uma paisagem de 40.600 hectares, no Alto Jequitinhonha, nos municípios de Veredinha e Turmalina, MG.

Essa história está sendo contada no filme “A Experiência Satoyama no Brasil”. A Iniciativa Satoyama tem como parceiros o Ministério do Meio Ambiente do Japão – MOEJ, o Secretariado da Convenção Sobre a Diversidade Biológica – SCDB e a Universidade das Nações Unidas – UNU, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD e o Fundo para o Meio Ambiente Mundial – GEF. O objetivo geral é contribuir para a melhoria da resiliência de paisagens em várias regiões do planeta.

No Brasil, com a articulação local do Centro de Agricultura Alternativa Vicente Nica, o CAV e apoio do Instituto Sociedade, População e Natureza, ISPN e de muitos outros parceiros, como o Instituto Internacional para Educação no Brasil, IEB, 14 comunidades rurais têm sido beneficiadas pelo Programa. Importantes resultados já foram alcançados: foram realizadas 143 obras baseadas em tecnologias sociais de coleta e armazenamento de águas da chuva, como bacias de contenção, terraços e barraginhas, armazenando cerca de 33,6 milhões de litros d’água. Esse aumento na disponibilidade de água tem viabilizado a produção de alimentos e a permanência das famílias no campo. Além disso, vinte nascentes estão sendo protegidas e restauradas.

Afora os benefícios ambientais, as comunidades têm recebido assistência técnica para aprimorar as técnicas de produção agroecológicas e o manejo sustentável do gado. O projeto tem estimulado frequentes trocas de conhecimentos entre as 300 famílias beneficiárias, o que tem gerado a valorização dos conhecimentos, engajamento e motivação.